27 de nov de 2014

MY SELF 2014

Talvez isso seja uma daquelas coisas que você continua fazendo porque sempre fez. Maybe. Porém, percebo que a cada ano diminui os itens, mas, aumenta a intensidade de outras, ou talvez, seja uma forma simples de refletir sobre eu mesma.


My self 2014

Direito. Estudos. Distimia a lot. Angustia. Cerveja. Miojo. Leis. Carinho.  Futuralista. Questões. Musculação. Cheiros. Profissão. Solidão. Persistência.  Futuro. Independência física. Desapego.  Gordices. Livros. Café expresso. Seriados. Animais de todas as raças e estilos. Planejamentos para o futuro. Sentimentos de Girl Interrupted e Sylvia Plath.  Energético e Guaraná em capsulas. Inverno. As coisas simples da vida. Vento no rosto. Individualidade. Silêncio.  Sonhos criados. Renúncias. Direção & pensamento longe. Andar de bicicleta. Incompreensão.  Admiração. Ver o amanhecer. Dormir em excesso. Pós Graduações. Taylor e Lauren. Objetivos. Sushi. Massa. Toque. Humildade, amor. Build a Family (...) Having a boy.

12 de set de 2014

os dias...

É difícil. É desgastante. É a vida. Nós escolhemos o nosso caminho. Você recém acompanhou o procedimento de eutanásia de sua cadela de 15 anos. A outra, também de 15 anos, também está morrendo. A única pessoa que te dá paz viajou. Problemas e mais problemas...Mas é a sua vida. É você e o seu sonho. É a meta que você traçou.

Seu corpo pede distração, implora por uma cama. A sua mente exige a CLT, implora por concentração, foco nos estudos. Sua alma quer chorar e chorar... E você? Quer sair correndo...quer ouvir o som do mar e se sentir em paz, se sentir segura. Sua mente pede outro café e uma história pra vida toda. A batalha está no final...uma caminhada longa, cansativa. Já foram tantos degraus. Sua vida está cansada.

Você não compreende as coisas ao seu redor. Entretanto, enxerga o topo da caminhada. Não sabe do dia de amanhã, mas sabe que será melhor do que o dia de ontem.  Muitos sabem o que devem fazer, poucos fazem o que deve ser feito. Executar seus sonhos não é uma tarefa fácil, não é, e todos sabem.

É você contra você mesmo. Contra o seu medo do agora e o medo do dia de amanhã. O tempo não lhe obedece. Seu rosto é triste, você respira angustias. O corpo já chegou no limite, e você insiste em prosseguir. Em tentar esquecer a dor da infecção nos rins, a dor da cólica, a dor de cabeça, a dor no estômago, a dor da infecção urinária, a dor da perda, e luta para se concentrar. Você repete para si mesmo constantemente que o seu corpo tem que estar em harmonia com a sua mente, mas não sabe como fazer isso. É a sua luta. É a sua dor. É o universo testando a sua perseverança.

31 de jul de 2014

22 de jul de 2014

31 de Maio de 2014

Foi no dia 31 de Maio de 2014. A maioria das pessoas não consegue auferir quando a vida pára ou quando decide-se de verdade levar a vida em frente. Eu lembro. Minha memória é rica em detalhes. Não tem como não lembrar essa data e as demais datas. Não que a noite tenha sido demais...não. Foi boa. O que merece ser lembrado não é a noite em si, mas sim o que ela significa. Significou o início, um marco interrompido intrínseco. Eu me libertei nessa data. Um lado do meu coração e da minha mente estavam obstruídos, intocáveis, intangíveis. Aqui estou eu em uma madrugada de segunda dentro do meu quarto, tendo consciência do passado e do presente. Estava aqui pensando, em tudo que aconteceu e o que está acontecendo comigo, quando na verdade, observo o quanto estou absorvida. Eu não sou a mesma pessoa e também não tenho mais a mesma rotina. Eu me perdi e me reencontrei. Eu me perdi tanto que quando me reencontrei eu não era a mesma. Isso decorre de muitas coisas e também da nova vida de graduada. Um mundo novo, 0 km. Eu continuei andando, apesar de ter ficado estacionada durante exatamente 06 meses. Nesse tempo eu me abri p mim e me fechei p resto do mundo, literalmente. Sou mais feliz hoje, com toda a certeza. Tudo chegou na hora certa, inclusive você. Se você tivesse chegado antes eu não teria notado. Estou nova em folha. Forte  e decidida das viagens de terça/quarta e quinta à Porto Alegre, e inteiramente feliz dos finais de semana em Torres. Dizem que passamos por duas fases de transição na vida, uma após a conclusão do ensino médio e outra com a conclusão da graduação. Eu não tive dor de cabeça com o vestibular, entretanto, o vestibular compensou a fase de pós graduação. Mas estou satisfeita com as minhas escolhas. O futuro depende de infinitas escolhas, viver não se baseia em continuar respirando. 

2 de jun de 2014

ME OLHE!

MÃE!


Está mais para irmã do que mãe... mas enfim...

Mãe, olhe bem dentro dos meus olhos, mas por favor, só dessa vez não me veja quando olhares; veja dentro dos meus olhos e procure ver-te a ti mesmo, ver o quanto tens sido uma pessoa pequena diante das tuas potencialidades esquecidas...Olhe nos meus olhos, e veja como somos diferentes e como ao mesmo tempo somos tão parecidas, olhe as nossas particularidades, como somos pequenas, falhas, finitas e, portanto, iguais. Nos meus olhos, procure ver um pedido de socorro, um pedido de ajuda, um pedido de paz, por favor...por favor... Me veja mãe...entretanto, me veja com outros olhos. Nos meus olhos, veja todas as chances de sermos melhores, juntas, unidas as nossas faltas às nossas potencialidades.  Por conseguinte, já dizia o pensador do google que "recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo, é tentar renovar as esperanças na vida e, o mais importante, acreditar em você de novo" e eu complemento a frase...que recomeçar é acreditar mais uma vez na gente e nas pessoas que gostamos...


..."If stupid poem could fix this home I'd read it everyday". - Blink 182.