17 de jun de 2010

Não sei, deixo rolar. Vou olhar os caminhos, o que tiver mais coração, eu sigo

Eu tenho dezoito anos, sou vacinada contra h1n1, e sou eu que compro e pago todas as minhas coisas.E a vida é bonita,na maioria das vezes.Tem amor perdido, que completa energia. Tem placas no caminho. Sigo o que achar melhor, ouvindo música boa.Escrevendo para lembrar e lembrando sem chorar, sem remorso, sem/com vontade de voltar. Dormir para acordar. Sem gritar. Sem bater.
As vezes a gente perde. Tudo bem, depois ganha outro, se quiser. E eu quero. Quero o que brilha e não enjôa.
Essas coisas de gente fraca, essas bebidas que não tem gosto, essas coisas caras sem valor, quero para ninguém. A chave do quarto eu tenho,mas entra quem quiser,sem bater...
Família, se não tiver, vai ter. Trabalho, se não tiver, vai ter. Vontade não falta.
Como eu tava falando,sou dona do meu nariz,eu tenho tantas certezas p algumas coisas,que me assusto nas incertezas.Por exemplo,do nada eu escolhi o Direito,mas tenho paixão pela Literatura.E realmente as aulas não me prendem,não gosto e não desgosto.Mas eu tenho a certeza que jamais vou trocar de curso,comecei e vou até o final.Considero as pessoas que trocam de curso,fracas.fail#.Mas não é disso que eu quero falar.
Quero deixar claro aqui,que eu to completamente ciente do que eu to fazendo,e eu não estou agindo pela razão..talvez isso seja um erro.Eu espero que não.Quero poder olhar esse post daqui a uns dias,e ter a certeza que eu precisei de tais coisas p ter mais confiança.Eu realmente não sei o que fazer.Na verdade eu sei,só não sei onde isso vai chegar.Chega de entrelinhas.
''Por tudo que há de mal no mundo, nós merecemos o máximo do bom. Sem culpa."
Algumas palavras, talvez nunca entendidas. Pense bem, são todas coisas boas. Entenda que além do sentido das palavras, tem muita coisa a mais a ser dita. Não espere que eu explique. Nunca vou te falar o que você deve fazer.